Edificando um altar ao Deus eterno

E disse Davi: Esta será a Casa do Senhor Deus, e este será o altar de holocausto para Israel 1 Crônicas 22:1

Quando nos deparamos com algo grandioso que pretendemos dar como tarefa aos nossos filhos, nos preocupamos em fazer o máximo para que tudo fique organizado. Damos as diretrizes e deixamos tudo o que for necessário para que o projeto então estabelecido, seja realizado.

Com Davi não foi diferente. O desejo de seu coração era construir um templo de adoração ao Deus Eterno. Como foi impedido pelo próprio Deus de realiza-lo, essa tarefa deveria ser executada pelo seu filho Salomão. Deus estabeleceu princípios que deveriam ser cumpridos e Davi não se sentiu excluído desse projeto, pelo contrário, contribuiu para que tudo fosse realizado a contento.

Davi deixou tudo organizado. Todas as coisas que eram necessárias para a construção do templo foram trazidas; orientou a Salomão e dessa forma sua inexperiência não faria com que ele fracassasse, pois havia organização e metodologia para a execução do trabalho.

As coisas no reino de Deus também são assim, alguns participam do projeto, outros da organização, outros da execução e outros do funcionamento local.

Em 1 Crônicas 21 relata que Davi pecou ao contar o povo de Israel, “Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel.

E disse Davi a Joabe e aos maiorais do povo: Ide, numerai a Israel, desde Berseba até Dã; e trazei-me a conta para que saiba o número deles.” 1 Crônicas 21:1,2

Em 2 Samuel 24 percebemos que o Senhor estava irado com o povo de Israel e permitiu que Davi contasse o povo pecando contra o próprio Deus, dessa forma o Senhor se levantou contra o povo.

“ E a ira do SENHOR se tornou a acender contra Israel; e incitou a Davi contra eles, dizendo: Vai, numera a Israel e a Judá.” 2 Samuel:1

O pecado fora cometido, a ira de Deus contra o povo ocasionou inúmeras mortes, mas o Senhor fez cessar a praga.

“Estendendo, pois, o anjo a sua mão sobre Jerusalém, para a destruir, o Senhor se arrependeu daquele mal; e disse ao anjo que fazia a destruição entre o povo: Basta, agora retira a tua mão. E o anjo do Senhor estava junto à eira de Araúna, o jebuseu.” 2 Samuel 24:16

Davi recebeu uma ordem de levantar um altar ao Senhor na eira de Araúna

“E disse Araúna: Por que vem o rei meu Senhor ao seu servo? E disse Davi: Para comprar de ti esta eira, a fim de edificar nela um altar ao Senhor, para que este castigo cesse de sobre o povo.
Então disse Araúna a Davi: Tome, e ofereça o rei meu senhor o que bem parecer aos seus olhos; eis aí bois para o holocausto, e os trilhos, e o aparelho dos bois para a lenha.
Tudo isto deu Araúna ao rei; disse mais Araúna ao rei: O Senhor teu Deus tome prazer em ti.
Porém o rei disse a Araúna: Não, mas por preço justo to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada. Assim Davi comprou a eira e os bois por cinquenta siclos de prata.
E edificou ali Davi ao Senhor um altar, e ofereceu holocaustos, e ofertas pacíficas. Assim o Senhor se aplacou para com a terra e cessou aquele castigo de sobre Israel. “
2 Samuel 24:21-25

Interessante percebermos que o local onde Davi adquire para oferecer sacrifícios ao Deus Eterno é uma eira.

• Um lugar plano, livre de interferências
• No monte Moriá, lugar de sacrifícios, lugar de provisão
• Davi não aceitou receber o local sem pagar um preço justo pela propriedade.

Aprendemos que não há sacrifícios diante de Deus se não estivermos livres das interferências do mundo, se não estivermos em um lugar onde estejamos com nossos pés firmes. Aprendemos que não há sacrifícios sem morte dos nossos desejos carnais, morte de nossas vontades e daquilo que pensamos ser o melhor. Não há sacrifícios sem pagarmos o preço necessário.

É preciso dizer não ao pecado. É fundamental renunciar favores que trarão benefícios próprios, mas que sabemos não agrada a Deus, é necessário desagradar a homens para que a vontade de Deus seja estabelecida. É de extrema importância renunciar o mundo e seus deleites para ter um altar limpo sem manchas, sem mácula, para que quando a presença do Senhor for convocada, Ele possa vir e fazer morada em meio a sua igreja, estabelecer sua aliança eterna e ouvir quando o povo clamar. “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 2 Crônicas 7:14

Davi tinha um coração segundo o coração de Deus. Ele entendeu que precisava cumprir tais requisitos para que sua oferta fosse aceita perante o Senhor.

É provável que esse local tenha servido de cenário para o próximo grande ato de Davi; a preparação para a construção do templo de adoração ao Deus Eterno.

Anos depois a Eira de Araúna ou Ornã, como é chamado em 1 Crônicas 21:25, o local adquirido por Davi, foi construído o templo do Senhor.

Hoje nós somos a casa espiritual o templo vivo do Senhor.

Devemos nos achegar a Ele com um coração livre de nossos desejos carnais, um coração receptivo disposto a mudar de rumo e buscar um caminho de santidade; estarmos limpos diante de Deus para que Ele possa nos usar.

Compreendermos que o Senhor requer de nós sacrifícios de louvor e verdadeira adoração. Não a adoração de lábios, mas aquela que flui de uma vida consagrada, vida de oração, de jejum, vida de altar diária, aquela que todos os dias sacrifica sua carne, suas vontades, para que se cumpra a vontade do Pai, para que seja estabelecido o plano de Deus.

Davi se preocupava em cumprir a vontade do Pai, mas como um bom líder também se preocupou em deixar um sucessor a altura do seu legado.

Salomão foi instruído e preparado para ser seu sucessor. Um bom líder se preocupa em orientar e preparar aquele que o substituirá. Bons líderes preparam outros grandes líderes. Tudo o que o líder aprende ou conquista deve ser passado para futuras gerações.

Davi conhecia o Deus a quem adorava e conhecia sua vontade. Fez de seu filho um grande homem ao ponto de até aquele momento, ser conhecido como o homem mais sábio. Ensinou seu filho a verdadeira adoração, fez com que seu legado fosse lembrado e perpetuado.

Grandes líderes tem o dever de ensinar a palavra, a verdadeira adoração, levar o povo e seus liderados a buscar a face de Deus, para que a glória do Senhor possa encher o templo. A começar de um coração puro que ouve a voz de Deus. Mas como o povo ouvirá a voz de Deus se não souber identificar sua voz?

Cabe aos líderes instruir o povo para que alcancem conhecimento e intimidade com Deus.

Jesus disse que iria para o Pai e que realizaríamos obras maiores do que as que Ele realizou aqui na terra. Ele sabia todo ensinamento que deixou, sabia os grandes líderes que formou.

Como homens e mulheres de Deus, qual será o legado que deixaremos nessa geração?

Quais serão as marcas que deixaremos e pelas quais seremos lembrados?

O Senhor hoje, conclama líderes formadores de uma geração santa, eleita, que demonstram as marcas do Cristo Vivo. Que não perdem tempo com coisas terrenas, que se preocupam com as coisas do alto, as quais farão toda a diferença para as futuras gerações. Aqueles que se voltam ao primeiro amor, aquele que ardia no peito, que fazia com que o próximo fosse amado mais do que a si mesmo. O amor verdadeiro, o amor de Cristo.

Só assim compreenderão que mais vale um dia nos átrios do Senhor, do que mil em qualquer outro lugar.

Que a graça de Cristo esteja com todos.

Gildema Rocha Paixão Machado

Os comentários estão fechados.